sábado, 20 de janeiro de 2018

Notícia

Projeto dos novos abrigos divulgado no início de 2017.

Prefeitura desistiu de construir novos pontos de ônibus?

Após a polêmica com os novos abrigos para passageiros do transporte público em Curitibanos que não agradou a população, ainda não foi divulgada no site da prefeitura, uma nova licitação para contratar outra empresa para instalar os abrigos. O valor divulgado em junho de 2017 para a obra era de R$ 308.130,88, recurso este do estacionamento rotativo.

No início de 2017 foi divulgado através da Secretaria Municipal de Planejamento, o projeto dos novos abrigos que seriam fabricados de madeira. A ordem de serviço para implantação foi assinada pelo prefeito José Antonio Guidi (Dudão), no dia 28 de junho de 2017, conforme as informações no site da prefeitura, a empresa tinha prazo de 90 dias para entregar a obra.

(Primeiro abrigo instalado que gerou a polêmica - Foto: Arquivo)

Mas quando o primeiro abrigo foi instalado na Cohab I, a população manifestou seu descontentamento nas redes sociais. O abrigo era pequeno e não parecia com o que havia sido divulgado. Diante da repercussão negativa, através de uma nota, a assessoria de comunicação da prefeitura disse que o padrão do abrigo não era o mesmo do projeto. 

Depois de toda a repercussão, fontes informaram que a empresa desistiu de realizar a obra, mas até a data desta publicação, não havia no site da prefeitura a publicação de um novo edital para contratar outra empresa. Porém, existe a possibilidade de o projeto ser reformulado, mas não conseguimos essa afirmação, pois entramos em contato via telefone com a Secretaria de Planejamento nesta tarde (12), mas as ligações não foram atendidas.

 

Opinião

Ao que tudo indica, a novela sobre os novos pontos de ônibus ainda vai render alguns capítulos. Mas vale ressaltar que no projeto, os abrigos ficaram bonitos, a intenção de ser construído de madeira seria a valorização do principal fator econômico do município que desde seu surgimento é voltado mais forte para a madeira. Porém, ainda cabe uma indagação, quanto tempo aguentariam até os marginais destruírem? Bom, enquanto os abrigos ficam na espera, o dinheiro arrecadado no estacionamento rotativo aumenta, ainda mais com as multas de trânsito, resta aguardar para ver quais serão os benefícios revertidos para a cidade e se realmente serão realizados.