×

REGIÕES

Curitibanos Frei Rogério Ponte Alta do Norte São Cristovão do Sul São João Batista

NOTÍCIAS

Esporte Fique Ligado Segurança Santa Catarina Brasil
Curitibanos

Estudante do Campus UFSC de Curitibanos pesquisa germinação de sementes de butiá em larga escala

O resultado alcançado é um importante passo para a produção de mudas em larga escala ou escala comercial. Foto: Divulgação.

O estudante da nona fase do curso de Engenharia Florestal Carlos Felipe Meuer, do Campus de Curitibanos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), desenvolveu uma pesquisa para estimular a germinação de sementes de butiá (Butia eriospatha). Fruto apreciado na Serra, no Planalto e no Sul catarinenses, o butiá é ingrediente para a produção de doces, cervejas, licores e aguardentes.

Além de fatores como a perda de habitat natural, o butiá apresenta uma taxa de germinação natural baixa (até 2 anos) e dormência das sementes. Por causa disso, a espécie se encontra na Lista Vermelha da International Union for Conservation of Nature (IUCN) e é considerada criticamente em perigo pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema).

Desta forma, a pesquisa de Carlos testou diferentes tratamentos para superar a dormência das sementes e acelerar a germinação, para que no futuro seja possível a produção de mudas de forma mais rápida. Vários estudos com essa espécie já foram desenvolvidos pela professora Andressa Vasconcelos Flores, desde 2014, no Campus Curitibanos.

Para a análise, foram utilizados quatro métodos destinados à superação da dormência: 1. método testemunha (sem nenhum tratamento); 2. remoção do opérculo; 3. remoção do opérculo e imersão em água por 24 horas; 4. remoção do opérculo e imersão em solução de cloreto de sódio (NaCl) 1,5%. De acordo com o estudante, a avaliação da germinação ocorreu por meses, sob condições controladas.

 

“Identificamos que, dentre os métodos estudados, o melhor foi a superação de dormência por meio da remoção do opérculo, (…) mas é importante salientar que a eficiência do método é diretamente dependente da planta-matriz, ou seja, funciona para alguns genótipos”, ressaltou o aluno. O resultado alcançado é um importante passo para a produção de mudas em larga escala ou escala comercial.

A pesquisa contou com a colaboração de Tuane da Silva Barêa Soares, estudante de Engenharia Florestal, sob orientação da professora Andressa Vasconcelos Flores. O trabalho foi apresentado no dia 18 de março, durante a Primeira Mostra Científica e Tecnológica de Curitibanos, junto com outros três trabalhos premiados. (clique AQUI para conferir a apresentação).

*Assessoria de Comunicação - UFSC. 

Grazielle Delfino

Comentários

Carregando do Facebook...
Vídeos da Semana

Vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos com deficiência ou comorbidades

18/01/2022

Com aumento de casos de Covid-19, prefeitura reorganiza atendimentos

06/01/2022

Últimas Notícias